O Brasil

A situação na província era crítica e o casal decide que Virgínia e Alba deveriam partir junto com seus pais e Giovanni os seguiria assim que fosse liberado. Desta forma, Virgínia, e Alba partem rumo ao Brasil, ainda em 1897, junto com seus familiares.

A chegada foi em março de 1899, no porto de Santos. Seguindo as correspondências recebidas de Virgínia, rumou para a cidade de Santa Adélia, no interior do estado de São Paulo, onde, após dois anos, reencontrou-se com sua mulher, sua filha e seus pais adotivos.

Como a grande maioria dos imigrantes europeus chegados a São Paulo no início do século XX, Giovanni foi trabalhar nas fazendas de café. No Brasil, o casal Ortensi teve mais sete filhos : Etore, Ines, Maria, Alcídia e Palmira, Luiz e Leonel. Alba possuía problemas cardíacos congênitos e faleceu muito jovem.

Virgínia Faleceu em 3 de setembro de 1945 e Giovanni passou a morar com Leonel, seu filho mais novo, ainda solteiro. Quando Leonel casou-se, Giovanni hospedou-se na casa do filho Etore. Com a morte de Etore, Giovanni passou a morar com sua filha Ines, na cidade paulista de São José do Rio Preto. Anos depois, Giovanni mudou-se para a casa de seu filho Luiz.

A mudança para a capital paulista

Em 1953 retornam para o estado de São Paulo, indo para a capital, no bairro de Vila Matilde. Um ano depois, em 1954 a família se muda para a cidade de Guarulhos. Depois mudam para a Penha e em 1960 retornam para Guarulhos. Ali permanece Giovanni até a sua morte. Sua sepultura está no cemitério de São Judas, na cidade de Guarulhos, estado de São Paulo, para onde mudaram-se posteriormente os filhos Luiz, Leonel e suas famílias.