A guerra

Giovanni, como todo jovem de 18 anos, alista-se para o serviço militar ainda no ano de 1894 e passa a servir como soldado na capital Padova. Foi então que um evento delicado mudou toda a sua vida.

Se não estivesse no exército, provavelmente Giovanni e Virginia teriam logo se casado, mas como o serviço militar retardou seus planos, o casal acabou cedendo às paixões e Virginia fica grávida de Giovanni, por volta do mês de agosto de 1895. Não há registro de como este fato foi recebido pelos Finco, mas acredita-se que não houve uma ruptura familiar, pois os documentos disponíveis mostram que todos continuaram unidos. Além disso, para regularizar a situação (e provavelmente aplacar os pais de Virginia, que devem ter assumido mais o papel de sogros do que de pais adotivos de Giovanni) o jovem casal Ortensi oficializa o seu casamento em 3 de fevereiro de 1896 (veja uma reprodução do registro de casamento na seção de anexos, no final do livro). Dois meses depois, em 4 de abril, nasce Alba, sua primeira filha.

Com uma filha recém nascida para cuidar, Giovanni pede licença do exército e é liberado em 17 de junho de 1896 com licença limitada, ou seja, deveria ficar disponível para uma eventual convocação.

A crise política e social na região se agravara. Os Finco, seguindo o exemplo de outros milhares de famílias, planejavam partir para a América e Giovanni, Virginia e Alba iriam junto. Mas, em 22 de março de 1897, Giovanni foi convocado pelo exército, pois novos efetivos estavam sendo mobilizados para a campanha contra a Áustria pela posse dos territórios ao norte do Vêneto.

Giovanni foi incorporado ao 86º Regimento de Infantaria do Exército e lutou em Triestre e Trento. Segundo seus próprios relatos, as batalhas foram sangrentas e em certa ocasião teve de se esconder sob cadáveres na neve para não ser morto pelo inimigo. O seu trabalho no exército foi reconhecido pela promoção ao posto de cabo, em 31 de março de 1898, com mérito de boa conduta.

Felizmente, a guerra foi breve. Os territórios foram conquistados pela Itália, veio a paz e com ela a liberação, obtida em 7 de janeiro de 1899. Assim, no último ano do século dezenove, Ortensi Giovanni deixa a sua Pátria para e reencontrar-se com a sua família, no Brasil, após dois anos de separação.